Pão, Receitas

Meu primeiro pão sem glúten.

Nos últimos dois ou três anos, eu vinha tendo um interesse em pesquisar receitas que não levassem glúten ou lactose, principalmente pelo meu diagnóstico de intolerância leve a essa última, e também uma gastrite eventual sob momentos de estresse… Enfim, em receitas diet eu já estou feliz com a substituição do açúcar por adoçante para forno e fogão. Em receitas sem lactose dá pra substituir o leite por leite sem lactose, água ou suco; manteiga por óleo ou margarina; há opções de queijos e lançamentos recentes de creme de leite e leite condensado também sem a lactose.

Mas quando chega nas opções sem glúten, eu ainda não tinha ficado satisfeita. Tentei flocão de arroz, farinha de arroz, amido de milho e polvilho em algumas receitas, mas nada que chegasse perto de um resultado que eu achasse bom para bolos. Pães, então, eu achava que seria impossível. Estou considerando aqui alternativas que não fossem tão distantes economicamente da farinha de trigo, pois eu sei que existem farinhas sem glúten já prontas, mas não tenho fácil acesso a elas.

Assim, nas minhas andanças por blogs voltados para esse tema e também nos aprendizados do curso de confeitaria, acabei percebendo que uma alternativa seria misturar vários tipos de farinha para se chegar a um resultado interessante, pois um ingrediente complementaria o outro.

Não lembro mais como, mas cheguei a um mix de farinha do Gluten Free Gourmet São Paulo, que parecia promissor e reproduzo a receita abaixo:

Amido de milho – 500 g

Farinha ou creme de arroz – 250 g

Fécula de batata – 200 g

Polvilho doce – 100 g

Goma xantana – 20 g

A autora recomenda misturar tudo e substituir na mesma quantidade da farinha de trigo nas receitas.

Eu fiz a minha sem a goma xantana para experimentar, e deu certo até agora.

Testei um bolo de café que ficou bom, mas tive problemas com o forno. O bolo assou desigual pois comecei com o forno muito alto, começou a queimar as bordas sem assar o centro, aí diminuí a temperatura até que o centro não estivesse mais cru. Mesmo assim o gosto ficou bom, e a textura fofa.

Então ontem resolvi fazer uma receita de pão de liquidificador, que não precisasse sovar pra testar como a farinha funciona, e também porque tinha apenas meio quilo, e para sovar é bom não ter uma quantidade limitada de farinha 😉

Receita de pão sem glúten com mix de farinhas.

Desculpem a qualidade da foto 😛

E deu certo! Bem, é claro que não ficou como um pão de farinha de trigo, mas não ficou pesado e nem com gosto estranho.

Pelo contrário, o gosto é igual a um pão caseiro, apenas a textura é mais fofa e esfarelenta, e o topo ficou craquelado como biscoito de queijo.

Foi uma receita bem simples que eu adicionei apenas um pouco de cebolinha verde à massa antes de ir ao forno.

A receita é a seguinte:

Bater no liquidificador –

1 ovo

meia xícara de chá de óleo

1 xícara de chá de água

10 g de fermento biológico seco

1 colher de sopa de açúcar

meia colher de sopa de sal

Tente usar os ingredientes em temperatura ambiente ou levemente aquecidos, para favorecer a fermentação. Após bater, passar para uma tigela grande e acrescentar mais ou menos meio quilo do mix de farinha citado acima. Eu usei um pouco menos de meio quilo, mas depende da umidade do dia, temperatura dos líquidos, entre outros fatores.

A massa fica consistente, mas mais para mole.

Colocar em uma forma para pão untada com margarina e deixar descansar por 30 minutos, coberto com um pano.

Levar para assar por aproximadamente 40 minutos, em forno pré-aquecido. Eu coloquei para aquecer aos 15 minutos da fermentação. Usei a temperatura mais baixa do meu forno, de 160 ºC. Bem, fique de olho no forno, pois pode ser que leve mais tempo para assar.

E foi isso. Muito satisfeita com essas primeiras experiências dando certo.

E você? Alguma experiência com farinhas sem glúten que também deu certo? Ou que não deu?

Deixe uma resposta